Assine a BD Pro e tenha acesso a conjuntos exclusivos e dados com alta frequência de atualização. Versão Beta já disponível

<< Voltar

Plataforma traz mais transparência para a prestação de contas de candidaturas e partidos nas Eleições 2022

JOTA

Foto: Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

JOTA

Sobre

Empresa de jornalismo e tecnologia para tomadores de decisão que tem como missão tornar as instituições brasileiras mais transparentes e previsíveis.

Setor

Política

Queremos ajudar você.

Criada pela BD em parceria com o JOTA, empresa de jornalismo e tecnologia, a plataforma Siga o Dinheiro auxiliou população e imprensa no monitoramento das despesas e receitas de campanhas eleitorais nas eleições de 2022. O projeto se tornou uma importante ferramenta para a transparência pública e o combate à corrupção no processo eleitoral.

Resultados da parceria

  • Fornecimento de dados atualizados para coberturas jornalísticas das eleições e acompanhamento da sociedade;
  • Produção de análises qualificadas sobre a prestação de contas nas eleições;
  • Dados de despesas e receitas das eleições para apuração de mais de 20 reportagens publicadas em 5 veículos de comunicação diferentes.

Construído com tecnologia de ponta para extrair e organizar automaticamente as informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o painel traz dados atualizados sobre o financiamento das eleições. A plataforma permite a seleção de diversos recortes a partir de filtros geográficos, raciais, de gênero e muito mais.

Siga o Dinheiro na apuração jornalística

O projeto Siga o Dinheiro foi fundamental para mapear desigualdades e inconsistências no financiamento das eleições de 2022. A ferramenta foi utilizada na apuração de mais de 20 reportagens com temas como as diferenças raciais e de gênero no financiamento de campanhas, o efeito da tecnologia no financiamento eleitoral, lacunas nas prestações de contas, candidatos que receberam mais recursos para suas campanhas, entre outros. Para Kalleo Coura, editor executivo do JOTA em São Paulo, “os dados das prestações de contas das campanhas foram organizados de forma simples e intuitiva nos painéis da plataforma, o que possibilitou identificar inconsistências e tendências interessantes”.

O painel facilitou a apuração de reportagens que deixam explícitas as profundas desigualdades na distribuição de recursos para campanhas. Com filtros que permitem explorar a proporção de receitas e despesas entre os diferentes perfis de candidaturas, o painel possibilitou análises que identificaram a falta de recursos para candidaturas indígenas – 30% das candidaturas não receberam nenhum recurso para suas campanhas – e a disparidade entre os recursos destinados a candidatos brancos e pretos, com o primeiro grupo acumulando o dobro no financiamento.

“Durante a corrida eleitoral, foi substancial ter acesso à visualização do Siga o Dinheiro, que usou dados abertos da Justiça Eleitoral que nem sempre seriam facilmente combinados e cruzados para produzir conteúdo de interesse público. Na cobertura, essas informações ajudaram a embasar reportagens sobre os candidatos que mais receberam investimentos de recursos públicos para campanha, mas, principalmente, para mostrar as desigualdades regionais, partidárias, de gênero e raciais. Com dados apresentados pela plataforma, mostramos que candidatos brancos à Câmara dos Deputados tiveram em média o dobro de recursos dos pretos e que um quinto das mulheres não tinham recebido nem R$ 1 de seus partidos, por exemplo.”

Letícia Paiva, Repórter do JOTA

Além de ajudar a identificar tendências do financiamento das campanhas para cargos federais, a possibilidade de criar recortes regionais facilitou o acompanhamento dos gastos em estados como Roraima, por exemplo. A ferramenta ajudou também na identificação de irregularidades e erros nas prestações de contas de candidatos e partidos. Foi o caso do Partido Socialista Brasileiro (PSB), que declarou uma receita de mais de R$ 400 milhões do Fundo Especial de Financiamento de Campanha do sindicalista Zé Francisco, o que o colocaria na primeira posição entre os candidatos que mais receberam recursos públicos em toda a eleição de 2022.

Tecnologia de ponta trabalhando pela transparência e acessibilidade

O painel foi desenvolvido através da combinação de técnicas de extração automatizada e de um rigoroso processo de tratamento e padronização de dados. Isso permitiu o acesso em tempo real às informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), apresentadas em um formato intuitivo, onde os usuários podem pesquisar e criar seus próprios recortes com filtros por estado, partido, cargo, gênero, raça e mais.

A BD também disponibiliza em sua plataforma os dados atualizados de receitas e despesas, possibilitando o download das tabelas tratadas ou o acesso por ferramentas de análise de dados, como SQL, Python, R e Stata.

Acesse os dados atualizados das eleições brasileiras.

Base dos Dados

PRODUTOS

Mecanismo de buscaDatalake públicoPacotesBD ProBD Edu

INSTITUCIONAL

Quem somosTransparênciaNewsletterCarreirasPerguntas frequentesTermos e PrivacidadeContatoApoie o projeto

® 2023 Base dos Dados

Ícones adaptados de Freepik e disponíveis em Storyset e Flaticon.